Archive for Dezembro, 2010

FELIZ NATAL

24/12/2010

Anúncios

SOLSTÍCIO DE INVERNO

21/12/2010

O Solstício de Inverno ocorre hoje, dia 21, às 23h38m. Este instante marca o início do Inverno no Hemisfério Norte, Estação mais fria do ano. Esta estação prolonga-se por 88,99 dias até ao próximo Equinócio que ocorre no dia 20 de Março de 2011 às 23h21m.

Recorde-se que os Solstícios são pontos da elíptica em que o Sol atinge as posições máxima e mínima de altura em relação ao equador, isto é, pontos em que a declinação do Sol atinge extremos: máxima no solstício de Verão e mínima no solstício de Inverno.

COMO SE GASTA O DINHEIRO DOS NOSSOS IMPOSTOS

20/12/2010

Esta noticia, veio publicada no Correio da Manhã, e é denunciada na crónica  semanal do presidente Macário Correia a este jornal.

ARMAZÉM

Há cerca de 10 anos, por razões e circunstâncias válidas, sendo por pouco tempo, o Município alugou um armazém na Falfosa para guardar equipamento de apoio a eventos (palcos, cadeiras, mesas, tubos, etc.).

Passados 10 anos, parece espantoso, mas é verdade, foram pagos mais de 200 mil euros de rendas. Mais de 20 mil por ano. Um custo superior ao valor real da construção de semelhante edifício para guardar tralha diversa.

E este é apenas mais um caso de gestão curiosa que atravessou várias mãos, todos foram pagando e o tempo foi passando.

Agora decidiu-se acabar com o caso. A quinquilharia será guardada em outros espaços, pois ficámos sem 200 mil euros e sem armazém.
Não pode é continuar, em tempo de dificuldades uma situação destas.

A seu tempo, quando para tal houver condições, logo se fará um armazém adequado a estas funções. E terrenos municipais para este efeito existem. É pena que não tenha sido feito há uns anos, com boa parte dos 200 mil que se foram e já não voltam.

CONHEÇE OS SINAIS!

18/12/2010

PORTAGENS NAS SCUTS ESTÃO A AFASTAR TURISTAS

17/12/2010

A Associação de Empresas Turísticas Portuguesas (AETP) denunciou esta quinta-feira que as portagens cobradas desde 15 de Outubro nas antigas auto-estradas sem custos para o utilizador (SCUT) «estão a afastar turistas de Portugal».

«Poderemos estar, efectivamente, na presença de uma situação contraproducente que prejudica o país, quando o investimento em SCUT foi precisamente justificado, a nível nacional e europeu, para equilibrar o desenvolvimento de Portugal, com a facilitação da mobilidade em todo o território», salienta a AETP, em comunicado.

Para a associação, a introdução de portagens nas SCUT «abre a possibilidade de desvio de importantes fluxos turísticos», situação que «poderá causar prejuízos às empresas turísticas, não turísticas e ao Estado português em valor superior ao encaixe financeiro previsto», de 250 milhões de euros em 2013.

A AETP considera «urgente iniciar-se um processo de análise e consequente adaptação dos factores de competitividade da indústria turística e da própria economia portuguesa», nomeadamente aos «principais parceiros e concorrentes comerciais mais directos».

«Será incompreensível que não se atendam as desiguais condições concorrenciais existentes, levantando-se adicionalmente fechadas lógicas rodoviárias que contradizem toda a abertura ao mercado europeu que necessitamos trabalhar», salienta a AETP.

O MUNDO AO LÉU

13/12/2010
retirado: Só Risomail

PORTUGAL É O 2º PAÍS DA EUROPA ONDE HÁ MAIS DESIGUALDADE SOCIAL

03/12/2010

Portugal apresenta o segundo valor mais alto no índice de desigualdade social da União Europeia, indica o livro “Desigualdades Sociais 2010 – Estudos e Indicadores”, lançado hoje, quinta-feira, pelo Observatório das Desigualdades.

O livro indica que a Letónia é o país com mais desigualdade na distribuição de rendimentos, mas logo a seguir vêm, ex-aequo, Portugal, Bulgária e Roménia, refere o estudo apresentado no Instituto Superior das Ciências do Trabalho e da Empresa, em Lisboa.

No que toca às diferenças de rendimento total entre os mais ricos e os mais pobres Portugal está no quarto lugar da lista dos países mais desiguais.

O rendimento dos 20 por cento da população mais ricos é 6,1 vezes superior ao dos 20 por cento mais pobres, concluiu a equipa coordenada pelo investigador Renato Miguel do Carmo.

Usando dados de 2007, os responsáveis pela investigação concluíram também que 18 por cento da população estava em risco de pobreza em 2007, com especial incidência para os jovens até aos 17 anos (23 por cento em risco) e para os idosos com mais de 65 anos (22 por cento).

“A baixa escolaridade, o desemprego, a monoparentalidade, o número elevado de filhos e viver só são fatores que contribuem para elevar a taxa de risco de pobreza”, indica-se no livro.

Um dos factores que mais contribui para aumentar este risco de pobreza é o desemprego, que no último trimestre de 2009 afectava mais 504 mil portugueses, contando com os inscritos no Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Três quartos deste meio milhão de pessoas só tinham estudado até ao 9º ano de escolaridade.

A maior parte destes desempregados tinha entre 35 e 54 anos. Nesta faixa etária, o desemprego em Dezembro de 2009 aumentou 30,1 por cento face ao que se verificava em Dezembro de 2008.

Os investigadores registaram que o maior aumento de desemprego de 2008 para 2009 se registou entre pessoas que tinham concluído no máximo o ensino secundário, com uma taxa de 34 por cento.

Nas conclusões, a equipa do Observatório das Desigualdades estabelece que “a economia portuguesa depara-se não só com o problema das baixas qualificações da população trabalhadora, mas também com a questão da baixa oferta de emprego de qualificação intermédia”.

O Observatório das Desigualdades funciona no âmbito do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE), contando com apoio governamental.

Fonte: Jornal de Noticias

ASSOCIAÇÃO DE MÚSICOS (ARCM) RECEBE ORDEM DE DESPEJO

01/12/2010

A Associação Recreativa e Cultural de Músicos (ARCM) está em risco de ir para a rua, agora que o Tribunal Judicial de Faro emitiu uma sentença de despejo das instalações de há 20 anos, “considerando não haver necessidade de julgamento e dando a razão ao senhorio”.

A Associação de Músicos contesta em tribunal e na rua, marcando para o próximo sábado uma “marcha silenciosa” pelas ruas de Faro.

A Associação Recreativa e Cultural de Músicos (ARCM), de Faro, que recebeu ordem de despejo do tribunal em Fevereiro deste ano, vai realizar um desfile de protesto nas ruas da cidade no próximo sábado e tem como objetivo demonstrar que se a ARCM encerrar sem uma alternativa, dezenas de músicos vão ficar na rua.

Os músicos vão concentrar-se pelas 09:30 de sábado, dia 04, junto à ARCM, para depois seguirem para o Mercado Municipal de Faro, Teatro Lethes, rua de Santo António, terminando no Jardim Manuel Bívar.