Posts Tagged ‘cultura’

3º FARCUME: Festival de Curtas-Metragens de Faro

09/08/2013

FarcumeCartaz_2013

Vai decorrer de 28 a 31 de Agosto a 3ª edição do FARCUME: Festival de Curtas-Metragens de Faro, que ocorrerá nesta cidade, no secular edifício da Escola de Hotelaria e Turismo, situada no Largo de São Francisco.

Este ano, a organização decidiu aumentar o festival para 4 dias de duração, fruto da grande quantidade e da qualidade dos trabalhos enviados. Ao todo, serão mais de 20 horas de cinema e mais de 100 curtas-metragens nacionais e estrangeiras, muitas delas sendo estreias em Portugal e outras premiadas em reputados e conhecidos festivais de cinema que ocorrem não só em Portugal, como também nos EUA, França, Japão, Brasil, Argentina, México, Austrália, Arábia Saudita e Espanha.

As curtas-metragens exibidas estarão repartidas em quatro categorias que são elas: Animação, Documentário, Ficção e Videoclips, onde o público terá acesso a trabalhos com muitos actores conhecidos e passará a conhecer novos talentos nesta área, mas que, nem sempre têm a divulgação desejada e merecida.

Paralelamente ao programa cinéfilo haverá uma exposição de fotografia subordinada ao tema FARO: Identidade & Património e no final de cada sessão decorrerão convívios que seguramente proporcionarão bons momentos de diversão entre público, actores e realizadores.

Este festival, da responsabilidade da FARO 1540 – Associação de Defesa e Promoção do Património Ambiental e Cultural de Faro, recebeu ao todo 164 curtas-metragens, o que se traduz num aumento muito significativo em relação à edição anterior o que, segundo a organização, é um claro indicador do interesse e da curiosidade que este festival tem vindo a despertar neste meio, onde inclusive já chegou ao panorama internacional, contando este ano com uma forte representação do Brasil e de trabalhos oriundos da Argentina, Canadá, Alemanha, Inglaterra, México e Espanha.

Segundo a organização, o objectivo do FARCUME passa por procurar, dentro de um ambiente informal, bem-disposto e descontraído, premiar e reconhecer a dedicação, o empenho, a criatividade e o mérito dos realizadores, actores e equipas técnicas que sem terem os orçamentos da indústria cinematográfica de Hollywood executam excelentes trabalhos

À semelhança das anteriores edições, o público presente nas diferentes sessões terá a oportunidade de votar nas suas curtas favoritas.

Os ingressos para os 4 dias de festival podem ser adquiridos na página electrónica do evento em: <www.farcume.faro1540.org>, na plataforma Bilheteiraonline.pt nas estações dos CTT, na Worten e na Fnac. Os bilhetes diários serão adquiridos no recinto no próprio dia.

Para mais informações cliquem na página electrónica do festival em: www.farcume.faro1540.org

QUALIDADE DE VIDA EM FARO – CONCLUSÕES

18/09/2009

A Casa do Povo de Estoi acolheu na noite de ontem, 16 de Setembro, mais um colóquio organizado pela candidatura “Faro está Primeiro”, subordinado desta vez ao tema da Qualidade de Vida. Fechando o ciclo de intervenções, o Eng.º Macário Correia elegeu cinco áreas fundamentais de actuação para a melhoria necessária dos padrões de qualidade de vida no concelho:

– Perda da capitalidade – ao contrário dos nossos adversários, que têm uma visão redutora da condição geográfica de Faro, Macário Correia defende que Faro se deve assumir como um concelho charneira no desenvolvimento de toda a Região;
Desqualificação do espaço público – é necessário resgatar alguma qualidade de vida nos bairros da cidade e nas ruas e artérias das freguesias. É preciso limpar arruamentos, acarinhar os espaços verdes e recuperar o estado dos equipamentos públicos. Numa palavra, é preciso qualificar o espaço público farense e usar de muita pedagogia para alterar os comportamentos menos cívicos de uns poucos;
Ausência de um planeamento estratégico global – Exceptuando Estoi e uma parte de Santa Bárbara de Nexe, Faro não tem o seu espaço arrumado. Abundam medidas avulsas e desgarradas, mas falta uma visão sistémica do território. É preciso acabar com “a política da courela”;
Péssima situação financeira do município – um passivo gigantesco, de quase 90 milhões de euros, não nos deixa grande margem para, num só dia, resolvermos todos os problemas das pessoas. No entanto, tem que haver recursos para responder às necessidades das populações e conseguir aumentar a qualidade de vida de quem reside, trabalha ou faz férias no nosso concelho. É um imperativo de desenvolvimento;
Falta de organização interna da autarquia – para dar uma resposta mais expedita às solicitações, é preciso limar arestas no funcionamento da Câmara. Motivar as pessoas é algo que manifestamente não tem sido bem feito nos últimos 20 anos. Por outro lado, há estruturas internas e gabinetes que se sobrepõem, o que resulta em perdas de eficácia e em desresponsabilização.

O evento contou igualmente com prelecções de conhecidos pensadores sobre o assunto como o Dr. Fernando Silva Grade, o presidente e recandidato à Junta de Freguesia de Estoi, Dr. José Paula Brito e do Arq.º Paisagista Jorge Coelho. Depois de décadas de completa descaracterização do recorte arquitectónico farense, a “beleza branca”, para Fernando Silva Grade há que mudar de paradigma: o progresso de um determinado território não pode suster-se num desenvolvimento em quantidade mas sim em qualidade. O conhecido artista plástico, que vem defendendo que Faro tem que defender com unhas e dentes o que resta do seu património arquitectónico, sob pena de perder o que resta da sua identidade, disse no final da conferência que acredita que “Macário Correia personifica a visão, a abertura de espírito e a mentalidade contemporânea” que garante um desenvolvimento qualitativo.

De realçar ainda a apresentação do arquitecto paisagista Jorge Coelho, para quem a Qualidade de Vida só estará ao alcance de Faro, se garantirmos um atento e empenhado ordenamento do território e das acessibilidades. Para este especialista é ainda necessária a qualificação da integração da cidade na envolvente, bem como uma visão mais alargada ao nível dos transportes, sugerindo a constituição de uma Entidade Regional de Transportes. De resto, essenciais são também os sistemas de mobilidade e transportes centrados na comunidade.

No final dos trabalhos, moderados pelo Eng.º Bruno Lage, houve lugar a uma animada sessão de perguntas e respostas.

DSC04016

HPIM1657

HPIM1658

HPIM1660

HPIM1661

HPIM1659

QUALIDADE DE VIDA DISCUTIDA EM FARO

14/09/2009

Vai decorrer 4ª feira (dia 16), às 21h30, na aldeia de Estoi (casa do Povo), um colóquio/debate subordinado ao tema “Qualidade de Vida no concelho de Faro”.

O termo Qualidade de Vida, embora seja um conceito relativamente recente, é hoje em dia, amplamente referenciado em discursos e conversas informais, sendo um tema central e praticamente obrigatório em todas as análises e políticas de gestão, ordenamento e planeamento do território, em particular das cidades.

Contudo, apesar de ser um “chavão” muito aplicado, o conceito de Qualidade de Vida é complexo e engloba diversos aspectos, que se interligam, e que vão desde as questões mais materiais, ligadas à satisfação das necessidades humanas básicas, até às questões imateriais (p.e., a segurança, ambiente, cultura, a participação cívica).

Vem assistir e participar neste interessante debate que tem como um dos principais objectivos identificar as questões mais pertinentes que os farenses pretendem ver melhoradas e quais os principais problemas que anseiam ver solucionados ou minimizados.

A entrada é livre!

C O L Ó Q U I O / D E B A T E
“Qualidade de vida no Concelho de Faro”
16 Setembro – 4ª feira – 21h30
Casa do Povo de Estoi
Moderador: Eng.º Bruno Lage
Oradores : Dr. José Paula Brito,
Arq. Jorge Coelho,
Dr. Fernando Grade
Encerramento: Eng.º Macário Correia

CICLO DE CINEMA EM SETEMBRO NOS ARTISTAS

25/08/2009

Artsts_Far_1540_Set
A Associação FARO 1540 vai levar a efeito nas próximas três terças-feiras (dias 1, 8 e 15 de Setembro), na Sociedade Recreativa “Os Artistas” (Rua do Montepio, 10 – Faro), com o apoio desta Sociedade, um ciclo audiovisual com a exibição das obras:

HOME – Nosso Planeta, Nossa Casa – Dia 1 de Setembro/ 22H45
Zeitgeist the Movie – Dia 8 de Setembro/22H45
Zeitgeist Addendum – Dia 15 de Setembro/22H45

É de referir que estes dois últimos filmes foram vencedores, respectivamente, do prémio 2007 e 2008 do “Artivist Film Festival” atribuído por Hollywood na categoria de melhor película.

Os filmes/documentários Zeitgeist explicam e demonstram a falência e a ruptura do actual modelo económico/financeiro que “gere” o mundo. Para além disso apresentam provas de como os grandes grupos económicos e financeiros actuam a nível mundial para exercer directa ou indirectamente a sua influência em governos e economias mais fracas, contribuindo assim para o colapso da economia mundial e para o surgimento da inevitável crise financeira que agora atravessamos.

Como forma de combater este cenário de recessão mundial, o projecto Zeitgeist apresenta um modelo alternativo ao actual modelo económico/financeiro e explica como este funciona e pode ser implementado.

O filme HOME faz a descrição da exploração desenfreada que o Homem tem tido na gestão dos recursos do nosso Planeta sobretudo nos úlimos 50 anos e prevê os cenários se nada for feito para inverter esta tendência e qual a tecnologia que se encontra já disponivel para inverter essa situação.

A entrada é livre e os filmes são legendados em português!