Posts Tagged ‘politica’

Política, um outro olhar

16/02/2012

Em regimes democráticos a política é a arte ou ciência de determinadas praticas que fomentam o bem comum. A arte é a implementação de um determinado “saber fazer”, seja ele específico ou não. A ciência é a implementação de um método com recurso a um Saber amplamente aceite como conhecimento científico. No meu entender a aplicação de arte com saber científico, independentemente da área em questão, é a melhor definição de Política. Portanto a melhor arte sustentada em base científica possivelmente levará á melhor política. Mas o conceito de política nunca foi bem definido. Vejamos, a palavra política é derivado de grego antigo, politeía, que indicava procedimentos relativos à Pólis, isto é cidades. Por extensão, poderia significar tanto cidades como sociedades, comunidade, coletividades e outras definições referentes à vida urbana. No sentido comum, vago e às vezes um tanto impreciso, política, como substantivo ou adjectivo, compreende arte de guiar ou influenciar o modo de governo pela organização de um partido político, pela influência da opinião pública, pelo aliciamento de eleitores. Num conceito erudito, política “consiste nos meios adequados à obtenção de qualquer vantagem”, segundo Hobbes ou “o conjunto dos meios que permitem alcançar os efeitos desejados”, para Russelou “a arte de conquistar, manter e exercer o poder, o governo”, que é a noção dada por Nicolau Maquiavel, em “O Príncipe”.

Sem conhecer o verdadeiro significado do que é a Política, tanto num sentido comum como num sentido mais erudito, a adesão á política é olhada por muitos como a oportunidade de uma vida. Com mérito ou não, a oportunidade de estar em política é a arma de os que exercem o poder sobre os seus subalternos. Sem conhecer na realidade a nobre prática da política, esta hoje está transformada num verdadeiro instituto do emprego, penalizando aqueles que prescindem da engrenagem partidária. O partidarismo, outrora como sendo um centro de reflexão e discussão, é hoje a engrenagem de técnicas pouco claras de prosperidade e de progressão na carreira, denegrindo a imagem da nobre prática.

Anúncios

PORTUGAL NO FUNDO II

27/10/2010

Acho caricato que aqueles que pedem sacrifícios e compreensão aos portugueses pelo tempo difícil que estamos a atravessar, são exactamente os mesmos que na mesa das negociações do Orçamento de Estado não demonstrem flexibilidade nem vontade.

É a isto que se chama política?

MAIS UMA VEZ: A CRISE!

13/05/2010

Vivemos em crise crónica! E infelizmente é o zé povinho que tem de arcar com as responsabilidades dos devaneios financeiros praticados neste país ao longo dos anos.

O líder do PSD pediu hoje desculpa pelo conjunto de medidas que foram hoje aprovadas pelo Governo, mas sublinhou a urgência do pacote.

“Quero começar por pedir desculpa, não porque me sinta responsável, mas porque elas [as medidas aprovadas] representam um conjunto de medidas duras para a generalidade dos portugueses”, disse Pedro Passos Coelho em conferência de imprensa.

O líder do PSD continuou é que é importante nesta altura “que se dê uma palavra de explicação ao país sobre o que se passou”.

Argumentou Passos Coelho que “chegou a temer-se pela moeda única” e que “hoje estamos a pagar o preço de políticas erradas” que têm colocado o país na mira dos mercados.

O líder do maior partido da Oposição disse, contudo, que “esta não é a altura de apurar responsabilidade, mas de dar a mão ao país para ele sair da situação onde se encontra”, uma situação que Passos caracteriza de “estado de emergência nacional”, sublinhando que muitas das nossas instituições financeiras “passaram pelo maior aperto de que há memória” nas últimas semanas.

retirado: Diário Económico

BARÓMETRO POLÍTICO

02/02/2010

O barómetro político da marktest do mês de Janeiro volta a revelar a tendência de queda nas intenções de voto por parte do PSD, estando agora em 24,9%, um dos valores mais baixos de sempre.

O PS, apesar de apresentar um deficit de 9,2% parece que não sai beliscado e permanece praticamente inalterado com 39,6%, enquanto que o CDS regista a maior subida ficando perto dos 10%, o mesmo valor apresentado pelo Bloco de esquerda.

A CDU é agora a 3ª força política estando muito perto dos 12%.

BARÓMETRO POLÍTICO DE NOVEMBRO

07/11/2009

Depois da vitória alcançada nas Legislativas, o Partido Socialista, de acordo com o Barómetro Político da Marktest para o mês de Novembro, aumenta a sua vantagem percentual em relação ao PSD, obtendo quase 43% das intenções de voto. Os social-democratas inclusivé descem em relação ao seu resultado das eleições de 27 de Setembro, ficando com 23,7%, ou seja, praticamente menos de 20% que o PS.

 O BE que tinha a ambição de ser o 3º partido mais votado, não conseguiu esse objectivo nas eleições legislativas, e está em queda não chegando agora aos 9%. O CDS, por sua vez acimenta o seu estatuto de 3ª força mais votada, brilhantemente conseguida nas legislativas de Setembro e continua em alta ficando com 12,5% das intenções de voto. 

A CDU volta a cair e está agora com 6%, muito abaixo da casa dos 10% que andou a flutuar durante vários meses consecutivos.

De referir que os partidos mais à esquerda (CDU e BE) que valiam juntos quase 22% do eleitorado, representam agora cerca de 15%.

PS – 42,9%
PSD – 23,7%
CDS – 12,5%
BE – 8,8%
CDU – 6%

PASSOS COELHO FOI O PREFERIDO

30/10/2009

Após durante duas semanas este blog ter promovido uma votação sobre quem seria o líder preferido para o PSD, hoje divulga-se os resultados.

Assim, dos 11 candidatos, 4 deles não obtiveram votos (neste grupo está incluída a actual presidente Ferreira Leite). Luís Filipe Menezes e Santana Lopes somaram cada um 5% e Rui Rio ficou com 7%. É de referir que a opção “outro” ficou também com 5%.

Mais para cima surgiram Marcelo Rebelo de Sousa com 14%, Paulo Rangel com 16% e Alberto João Jardim com 17%. Em primeiro lugar e com uma margem folgada surge Pedro Passos Coelho com 31%.

TOP 5 das Preferências

– Pedro Passos Coelho: 31%

– Alberto João Jardim: 17%

– Paulo Rangel: 16%

– Marcelo Rebelo de Sousa: 14%

– Rui Rio: 7%

GATO FEDORENTO ESMIUÇANDO JERÓNIMO DE SOUSA

25/09/2009

GATO FEDORENTO ESMIUÇANDO FERREIRA LEITE

24/09/2009

GATO FEDORENTO ESMIUÇANDO JOSÉ SÓCRATES

23/09/2009

VISÃO DEMOCRÁTICA EM FARO

19/09/2009

Considero triste e lamentável que após 35 anos de democracia em Portugal e em pleno século XXI, ocorram cenas de falta de tolerância e de respeito democrático na capital de uma das regiões mais cosmopolitas e desenvolvidas do nosso país.

Não me querendo alongar, para já, muito mais sobre este assunto, deixo algumas imagens do triste espectáculo com que algumas pessoas presentiaram a cidade de Faro, os farenses e a candidatura da coligação “Faro está primeiro”.

DSC01944

Sede2

11/08/2009

Não podes perder esta oportunidade de conhecer de perto as 10 linhas de acção, com um conjunto de propostas concretas e concretizáveis, em domínios como o empreendedorismo jovem, o desporto, a cultura, a habitação e os transportes que completam o Programa da Juventude da coligação “Faro está Primeiro”, elaborado pela JSD/Faro.

Apresentacao-Programa-Eleitoral-da-Juventude-JSD-IPJ-12-08-2009

De acordo com esta estrutura partidária, a apresentação dos Jovens vai decorrer amanhã, dia 12 de Agosto, no IPJ (Instituto Português da Juventude) de Faro, pelas 21h30.

Foi escolhido este dia de modo a fazer homenagem ao Dia Internacional da Juventude, o dia dos Jovens para os Jovens!

LISTAS DE INDEPENDENTES

25/07/2009

Estamos a aproximarmo-nos a passos largos das eleições autárquicas (e legislativas) e muito se fala em listas de independentes, mas poucos são aqueles que sabem como se desenvolve o processo que permite que essas listas se apresentem a escrútinio.

Assim, de modo a esclarecer a malta que tem dúvidas sobre como se processa esta operação apresenta-se seguidamente o procedimento para angariar as assinaturas necessárias

Em primeiro lugar tem que ficar claro que uma candidatura independente a um órgão autárquico exige um conjunto de condições prévias mais complexo que as apresentadas pelos partidos, pois estes aquando da sua constituição já apresentaram as assinaturas de eleitores necessárias para a sua constituição (7.500 assinaturas), não sendo por isso necessário apresentar assinaturas cada vez que se apresentam a escrútinio. Este procedimento visa sobretudo garantir que o candidatos independentes tenham credibilidade e que tenham uma base de apoio digna para se apresentar a eleições, evitando assim a massificação e a vulgarização destas candidaturas.

Se os candidatos pretenderem avançar para esta aventura, então terão de iniciar um processo de recolha de assinaturas que assenta numa equação muito simples que consiste em dividir o número total de eleitores do município pelo triplo dos membros do órgão autárquico a que se candidatam.

No caso de Faro, que neste momento conta com 54.000 eleitores, uma candidatura à Câmara Municipal precisa de um mínimo de 2.000 assinaturas pois, 54.000/(3*9 membros)= 2.000

Já para a Assembleia Municipal, a fasquia das assinaturas desce consideravelmente pois 54.000/(3*27 membros)=667 assinaturas.

O mesmo procedimento aplica-se nas candidaturas às Assembleias de Freguesia, mas aí só conta para a equação os eleitores recenceados em cada freguesia.

BARÓMETRO POlÍTICO DE JUNHO

13/07/2009

Manuela Ferreira Leite tem razões para estar feliz. Depois da vitória alcançada nas Europeias, tem obtido uma série de resultados em sondagens que a dão empatada com José Sócrates e para além disso, no Barómetro Político referente ao mês de Junho, obtém uma vantagem de mais de 1% sobre o PS que após uma estabilização na casa dos 36%, volta a cair para os 34,5%.

Por sua vez, o PSD foi o partido que mais subiu e passou dos 29% para 35,8%, o que representa uma subida de quase 7%, passando a ser a força política que lidera o barómetro político, coisa que não acontecia desde 2004.

O BE após um período de subidas consecutivas regista uma quebra situando-se agora na casa dos 13%, tendência essa também seguida pela CDU que volta a cair para um valor abaixo dos 8%.

A seguir a tendência de socialistas, comunistas e bloquistas, o CDS também desce ficando agora com pouco mais de 4%, um dos valores mais baixos registados pelo barómetro político para esta força política.

De referir que os partidos mais à esquerda (CDU e BE) juntos valem agora cerca de 20% e que o PSD foi o único partido a subir este mês indo buscar eleitorado a todas as forças políticas aqui representadas.

PSD – 35,8%
PS – 34,5%
BE – 13,1%
CDU – 7,7%
CDS – 4,4%

PS E PSD EM EMPATE TÉCNICO

11/07/2009

De acordo com uma sondagem encomendada pelo Correio da Manhã à Aximage, apenas 2 décimas separam PS e PSD nas intenções de voto para as legislativas, o que significa que, se as eleições fossem hoje, José Sócrates e Manuela Ferreira Leite registariam um empate técnico.

PS: 30,5%
PSD: 30,3%
BE: 13,3%
CDU:9,5%
CDS: 6,1%

Data: 10 de Julho

BARÓMETRO POLÍTICO DE ABRIL

02/05/2009

No Barómetro Político referente ao mês de Abril, efectuado pela Marktest, verifica-se a quinta descida consecutiva para o Partido Socialista, parecendo contudo a estabilizar na casa dos 36%.

Por sua vez, o PSD que estava praticamente inalterável na casa dos 28%, tem agora uma descida de 2%, ficando com 26,4%, voltando aos seus piores resultados de sempre. Recorde-se que o PSD teve uma subida apenas em Fevereiro e Março na casa dos 2% possivelmente fruto do “caso” Freeport e do descontentamento generalizado provocado pela crise nacional.

O CDS caí ligeiramente mas continua perto dos 9%, contudo, ao contrário do mês de Março, o PSD e o CDS juntos valem agora menos do que o PS.

A CDU que vinha a descer consecutivamente desde Janeiro, inverteu essa tendência e está agora com 11,2% e o BE também subiu estando agora com 13,4% permanecendo como a 3ª força política mais votada. É de referir que a CDU e o BE juntos obtêm um score de 24,6%, quase o mesmo que o PSD.

votoassembleia200904

BARÓMETRO POLÍTICO DE FEVEREIRO

05/03/2009

O barómetro político do mês de Fevereiro já está disponivel e apesar do escândalo “Freeport” o PS permanece quase inalterado, registando agora 38,2%, afastando-se contudo da maioria absoluta. Em relação ao mês de Janeiro, os laranjas acusam uma boa subida (cerca de 4%), estando agora com 28,8% recuperando os votos que tinham fugido em Janeiro para o CDS que neste momento caíu dos 9,7% para os 4,1% nas intenções de voto.

Contudo, os socialistas continuam com uma folga significativa em relação ao PSD que se cifra em mais de 9%. Em 3º lugar na tabela surge agora o BE que registou uma subida de mais de 4%, estando agora com 14% das intenções de voto, indo conquistar eleitorado ao PS e à CDU. Os comunistas registaram uma ligeira descida e se analisarmos a sua oscilação ao longo dos meses conclui-se que o eleitorado deste partido fica a rondar os 10,5%.

Mais uma vez, é de destacar que o Bloco e o PCP juntos representam agora quase 25% do eleitorado (mais 3% que em Janeiro), estando quase equiparados aos social democratas.

votoassembleia2009021