Posts Tagged ‘Portugal’

NAVEGADORES NÃO DOBRARAM O CABO

29/06/2010

A jogar 10 contra 11 era inevitável o que aconteceu.

Manter o Ronaldo em campo 90 minutos à espera da jogada de mestre da vedeta é reduzir a restante equipa a um bando de coxos. Portugal vale mais do que isso.

Anúncios

MAIS UMA VEZ: A CRISE!

13/05/2010

Vivemos em crise crónica! E infelizmente é o zé povinho que tem de arcar com as responsabilidades dos devaneios financeiros praticados neste país ao longo dos anos.

O líder do PSD pediu hoje desculpa pelo conjunto de medidas que foram hoje aprovadas pelo Governo, mas sublinhou a urgência do pacote.

“Quero começar por pedir desculpa, não porque me sinta responsável, mas porque elas [as medidas aprovadas] representam um conjunto de medidas duras para a generalidade dos portugueses”, disse Pedro Passos Coelho em conferência de imprensa.

O líder do PSD continuou é que é importante nesta altura “que se dê uma palavra de explicação ao país sobre o que se passou”.

Argumentou Passos Coelho que “chegou a temer-se pela moeda única” e que “hoje estamos a pagar o preço de políticas erradas” que têm colocado o país na mira dos mercados.

O líder do maior partido da Oposição disse, contudo, que “esta não é a altura de apurar responsabilidade, mas de dar a mão ao país para ele sair da situação onde se encontra”, uma situação que Passos caracteriza de “estado de emergência nacional”, sublinhando que muitas das nossas instituições financeiras “passaram pelo maior aperto de que há memória” nas últimas semanas.

retirado: Diário Económico

PORTUGAL NÃO PRODUZ

27/04/2010

Ontem no programa Prós e Contras foi referido que Portugal produz somente 1/4 daquilo que consome.

Em vez dos nossos Governantes andarem com PEC´s, que apenas visam tapar o sol com uma peneira, deveriam sim olhar para esta realidade e inverter esta tendência. É por aí que passa a solução para o país!

FORTE SISMO EM PORTUGAL

17/12/2009

Um violento sismo de 6,0 graus na escala de Richter sacudiu esta madrugada a zona Sul de Portugal.

O tremor de terra foi sentido às 01h37 em todo o Algarve, Alentejo, em Lisboa, Setúbal, havendo relatos da ocorrência no Porto e em Vila Nova de Gaia. Algumas cidades marroquinas e espanholas também sentiram o abalo.

O epicentro do sismo foi em pleno Oceano Atlântico, perto do banco do Gorringe, a 31 km de profundidade e a 120 km a Sudoeste do Cabo de São Vicente.

Felizmente, para além do susto e da forte vibração de móveis, janelas, portas, materiais suspensos e de alguns objectos, não foram registados danos, tendo ainda acontecido até ao momento mais 6 réplicas de intensidade inferior a 3 na escala de Richter.

Em Faro chegou-se ao patamar IV na escala de Mercalli e  ao V em Lagos, Vila do Bispo e Portimão.

E VIVA O REI!!!

10/08/2009

Durante a madrugada de ontem, e apesar da forte vigilância policial, elementos do 31 da Armada (blogue) subiram heroicamente até à varanda dos Paços do Concelho de Lisboa e hastearam a bandeira azul e branca.

Há 99 anos atrás, no dia 5 de Outubro, um punhado de homens, contra a vontade da maioria dos Portugueses, tinha feito a mesmíssima coisa proclamando assim a república. O resto do país ficou a saber por telegrama.

Hoje, aproveitando as férias de Verão e numa inédita acção de guerrilha ideológica, foi restaurada a legitimidade Monárquica. Podem permanecer calmos nas vossas casas: foi restaurada a Monarquia. E o país fica a saber pela internet. A acção foi devidamente filmada e o video segue a seguir:

E viva o Rei!!!!

A ANEDOTA EM QUE SE TRANSFORMOU O NOSSO PAÍS

08/06/2009

– Uma adolescente de 16 anos pode fazer livremente um aborto mas não pode pôr um piercing.

– Um jovem de 18 anos recebe 200 € do Estado para não trabalhar; um idoso recebe de reforma 236 € depois de toda uma vida do trabalho.

 – Um marido oferece um anel à sua mulher e tem de declarar a doação ao fisco.

– O mesmo fisco penhora indevidamente o salário de um trabalhador e demora 3 anos a corrigir o erro.

– Nas zonas mais problemáticas das áreas urbanas existe 1 polícia para cada 2 000 habitantes; o Governo diz que não precisa de mais polícias.

– Um professor é sovado por um aluno e o Governo diz que a culpa á das causas sociais.

– O café da esquina fechou porque não tinha WC para homens, mulheres e empregados. No Fórum Montijo (por exemplo) o WC da Pizza Hut fica a 100mts e não tem local para lavar mãos.

– O Governo incentiva as pessoas a procurarem energias alternativas ao petróleo e depois multa quem coloca óleo vegetal nos carros porque não paga ISP (Imposto sobre produtos petrolíferos).

– Nas prisões é distribuído gratuitamente seringas por causa do HIV,  mas é proibido consumir droga nas prisões!

– No exame final de 12º ano és apanhado a copiar chumbas o ano, o primeiro-ministro fez o exame de inglês técnico em casa e mandou por faxe e é engenheiro.

– Um jovem de 14 anos mata um adulto, não tem idade para ir a tribunal. Um jovem de 15 anos leva um chapada do pai, por ter roubado dinheiro para droga, é violência doméstica!

– Uma família a quem a casa ruíu e não tem dinheiro para comprar outra, o estado não tem dinheiro para fazer uma nova, tem de viver conforme podem. 6 presos que mataram e violaram idosos vivem numa cela de 4 e sem wc privado, não estão a viver condignamente e associação de direitos humanos faz queixa ao tribunal europeu.

– Militares que combateram em África a mando do governo da época na defesa de território nacional não lhes é reconhecido nenhuma causa nem direito de guerra, mas o primeiro-ministro elogia as tropas que estão em defesa da pátria no KOSOVO, AFEGANISTÃO E IRAQUE.

– Começas a descontar em Janeiro o IRS e só vais receber o excesso em Agosto do ano que vem, não pagas as finanças a tempo e horas passado um dia já estas a pagar juros.

– Fechas a janela da tua varanda e estás a fazer uma obra ilegal, constrói-se um bairro de lata e ninguém vê.

– Se o teu filho não tem cabeça para a escola e com 14 anos o pões a trabalhar contigo num oficio respeitável, é exploração do trabalho infantil, se és artista e o teu filho com 7 anos participa em gravações de telenovelas 8 horas por dia ou mais, a criança tem muito talento, sai ao pai ou à mãe!

– Numa farmácia pagas 0.50€ por uma seringa que se usa para dar um medicamento a uma criança. Se fosses drogado, não pagava nada!

Obrigado Portugal . Estamos orgulhosos.

BARÓMETRO POLÍTICO DE MARÇO

03/04/2009

No Barómetro Político referente ao mês de Março, efectuado pela Marktest, verifica-se que o Partido Socialista continua a descer, caíndo cerca de 1,5% em relação ao mês de Fevereiro. Para justificar este resultado não deixa de ser relevante o caso “Freeport” e a “crise” internacional e nacional.

Por seu turno, o PSD mantem-se praticamente inalterável. É de destacar a subida significativa do CDS em mais de 5%, alcançando os 9,4% aproximando-se dos resultados obtidos em Janeiro. É de realçar que o PSD e o CDS juntos valem agora mais do que o PS.

A CDU registou uma queda de 2% e tem vindo a descer consecutivamente desde Janeiro, apresentando neste mês, o score mais baixo do último ano. O BE apesar de também ter descido em cerca de 2% nas intenções de voto permanece como sendo a 3ª força política mais votada.

votoassembleia200903

BARÓMETRO POLÍTICO DE FEVEREIRO

05/03/2009

O barómetro político do mês de Fevereiro já está disponivel e apesar do escândalo “Freeport” o PS permanece quase inalterado, registando agora 38,2%, afastando-se contudo da maioria absoluta. Em relação ao mês de Janeiro, os laranjas acusam uma boa subida (cerca de 4%), estando agora com 28,8% recuperando os votos que tinham fugido em Janeiro para o CDS que neste momento caíu dos 9,7% para os 4,1% nas intenções de voto.

Contudo, os socialistas continuam com uma folga significativa em relação ao PSD que se cifra em mais de 9%. Em 3º lugar na tabela surge agora o BE que registou uma subida de mais de 4%, estando agora com 14% das intenções de voto, indo conquistar eleitorado ao PS e à CDU. Os comunistas registaram uma ligeira descida e se analisarmos a sua oscilação ao longo dos meses conclui-se que o eleitorado deste partido fica a rondar os 10,5%.

Mais uma vez, é de destacar que o Bloco e o PCP juntos representam agora quase 25% do eleitorado (mais 3% que em Janeiro), estando quase equiparados aos social democratas.

votoassembleia2009021

ISTO É INCRIVEL!!!

26/02/2009

Abusos da polícia portuguesa e dos guardas-prisionais, más condições nas cadeias, violência contra mulheres e crianças e o tráfico de mão-de-obra e de mulheres continuam a ser os principais problemas de Direitos Humanos que, de acordo com a agência Lusa, os EUA apontam a Portugal.

É incrivel que um país que aplica a pena de morte em alguns dos seus Estados, que tem Guantanamo, que fez o que fez com os voos da CIA e que invade países sobre pretextos nebulosos, tenha a coragem para apontar o dedo a Portugal.

2 MILHÕES DE EUROS POR HORA!!!

12/12/2008

2 milhões de €uros por hora! É o ritmo a que a dívida externa de Portugal está a aumentar.

Está neste momento calculada em cerca de 353 mil milhões de €uros, praticamente 100% do PIB Nacional.

Fala-se muito do Deficit, fala-se muito da Crise, fala-se muito da Banca mas… esta matéria de crucial importância, que está a levar o país para o Abismo, não se fala nem se debate. Porquê?

graf_observatorio_3

1º DE DEZEMBRO

01/12/2008

D. Sebastião, um rei jovem e aventureiro, habituado a ouvir as façanhas das cruzadas e histórias de conquistas além-mar, quis conquistar o Norte de África. Na batalha de Alcácer Quibir no Norte de África, os portugueses foram derrotados e D. Sebastião desapareceu. Após o desaparecimento de D. Sebastião (1557-1578) na batalha de Alcácer-Quibir, sucedeu-se o Cardeal D. Henrique (1578-1580), que faleceu em 1580, sem ter designado um sucessor. Assim, Filipe II de Espanha, neto do rei português D. Manuel I Invadiu Portugal e submeteu-o a 60 anos de domínio, designado por “domínio filipino“.

 

Com o primeiro dos Filipes (I de Portugal, II de Espanha), não foi atingida de forma grave a autonomia política e administrativa do Reino de Portugal. Com Filipe III de Espanha, porém, começam os actos de desrespeito ao juramento de Filipe II em Tomar. Em 1610, surgiu um primeiro sinal de revolta portuguesa contra o centralismo castelhano, na recusa dos regimentos de Lisboa a obedecer ao marquês San-Germano que de Madrid fora enviado para comandar um exército português.

 

No início do reinado de Filipe III, ao estabelecer-se em Madrid a política centralista do Conde-duque de Olivares, o seu projecto visava a anulação da autonomia portuguesa, absorvendo por completo o reino de Portugal. Na Instrucción sobre el gobierno de España, que o Conde-Duque de Olivares apresentou ao rei Filipe IV, em 1625, tratava-se do planeamento e da execução da fase final da sua absorção, indicando três caminhos:

 

·  1º – Realizar uma cuidadosa política de casamentos, para confundir e unificar os vassalos de Portugal e de Espanha;

·  2º – Ir o rei Filipe IV fazer corte temporária em Lisboa;

·  3º – Abandonar definitivamente a letra e o espírito dos capítulos das Cortes de Tomar (1581), que colocava na dependência do Governo autónomo de Portugal os portugueses admitidos nos cargos militares e administrativos do Reino e do Ultramar (Oriente, África e Brasil), passando estes a ser Vice-reis, Embaixadores e oficiais palatinos de Espanha.

 

A política de casamentos seria talvez a mais difícil de concretizar, conseguindo-se ainda assim o casamento de Dona Luísa de Gusmão com o Duque de Bragança, a pensar que dele sairiam frutos de confusão e de unificação entre Portugal e Espanha. O resultado veio a ser bem o contrário.

 

A reacção à política fiscal de Filipe IV vai tomar a dianteira no processo que conduz à Restauração de 1640. Logo em 1628, surge no Porto o ” Motim das Maçarocas“, contra o imposto do linho fiado. Mas vão ser as ” Alterações de Évora“, em Agosto de 1637, a abrir definitivamente o caminho à Revolução.

 

Nas “Alterações de Évora”, o povo da cidade deixava de obedecer aos fidalgos e desrespeitava o arcebispo. A elevação do imposto do real de água e a sua generalização a todo o Reino de Portugal, bem como o aumento das antigas sisas, fez subir a indignação geral, explodindo em protestos e violências. O contágio do seu exemplo atingiu quase de imediato Sousel e Crato; depois, as revoltas propagaram-se a Santarém, Tancos, Abrantes, Vila Viçosa, Porto, Viana do Castelo, a várias vilas do Algarve, a Bragança e à Beira.

 

Em 7 de Junho de 1640 surgia também a revolta na Catalunha contra o centralismo do Conde-Duque de Olivares. O próprio Filipe IV manda apresentar-se em Madrid o duque de Bragança, para o acompanhar à Catalunha e cooperar no movimento de repressão a que ia proceder. O duque de Bragança recusou-se a obedecer a Filipe IV. Muitos nobres portugueses receberam semelhante convocatória, recusando-se também a obedecer a Madrid.

 

Sob o poder de Filipe III, o desrespeito pelo juramento de Tomar (1581) tinha-se tornado insuportável: nomeados nobres espanhóis para lugares de chefia militar em Portugal; feito o arrolamento militar para guerra da Catalunha; lançados novos impostos sem a autorização das Cortes. Isto enquanto a população empobrecia; os burgueses estavam afectados nos seus interesses comerciais; e o Império Português era ameaçado por ingleses e holandeses perante a impotência ou desinteresse da coroa filipina.

 

Portugal achava-se envolvido nas controvérsias europeias que a coroa filipina estava a atravessar, com muitos riscos para a manutenção dos territórios coloniais, com grandes perdas para os ingleses e, principalmente, para os holandeses em África (São Jorge da Mina, 1637), no Oriente (Ormuz, em 1622 e o Japão, em 1639) e fundamentalmente no Brasil (Salvador, Bahia, em 1624; Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará e Sergipe desde 1630).

 

Em 12 de Outubro, em casa de D. Antão de Almada, reuniram-se D. Miguel de Almeida, Francisco de Melo e seu irmão Jorge de Melo, Pedro de Mendonça Furtado, António de Saldanha e João Pinto Ribeiro. Decidiu-se então ir chamar o Duque de Bragança a Vila Viçosa para que este assumisse o seu dever de defesa da autonomia portuguesa, assumindo o Ceptro e a Coroa de Portugal.

 

No dia 1 de Dezembro de 1640, eclodiu por fim em Lisboa a revolta imediatamente apoiada por muitas comunidades urbanas e concelhos rurais de todo o país. Assim, um grupo de 40 fidalgos dirigiu-se ao Paço da Ribeira onde estavam a Duquesa de Mântua, regente de Portugal, e o seu Secretário, Miguel de Vasconcelos. A Duquesa foi presa e o Secretário morto. Foi assim que Portugal recuperou a sua independência, sendo D. João IV, Duque de Bragança, aclamado rei, com o cognome de “O Restaurador”, dando início à quarta Dinastia – Dinastia de Bragança.

  

Fonte: Wikipédia